970×90

Solidariedade a Yan

Para muitas pessoas vir para a América é sinal de que querem dar aos seus, dias, condições e oportunidades melhores de vida. Os Estados Unidos ainda é a porta aberta para multidões que imigram em busca de dias prósperos. Mas nem sempre é assim. Há quase 40 dias, Josiela Pereira desembarcou em Boston, vinda de Santa Catarina, na esperança e expectativa de que a sua estada na América faça a diferença na vida de Yan, seu filho de 11 anos, que foi acometido de paralisia cerebral por causa de um erro médico.

Meu filho Yan Pereira tem 11 anos e passou da hora de nascer em um parto complicado no Brasil, tendo falta de oxigenação cerebral ocasionando a paralisia cerebral que sofre até os dias de hoje. A luta dele e minha é lutar dia após dia contra a Hipotonia muscular – que não tem firmeza no corpo, o que provoca uma escoliose grave. Ele não consegue se alimentar pela boca e sim através de uma sonda gástrica na altura do estômago, ele não fala, não anda e faz o uso diário e constante de fraldas por ser hipotônico. Não imagino o meu filho correndo como uma criança com saúde plena, mas ele ainda pode ficar de pé em um andador, comer pela boca sem o uso de sondas, e poderá sim vir a falar algumas palavras e até montar algumas frases. O Yan fará a princípio e com urgência uma reconstrução no quadril, pois por não conseguir apoiar os pés no chão e pela falta de terapias no Brasil, por ser tudo muito caro, o fêmur acabou se deslocando e ficando solto. Por causa disto estou impossibilitada de trabalhar nestes primeiros quatro meses, pois precisarei me dedicar integralmente à recuperação dele. Venho pedir a colaboração de todos nesse momento pois eu e ele estamos sem familiares por aqui, eu vim sozinha somente com a força do amor que uma mãe tem e porque quero o melhor para o meu filho. O plano de saúde do Yan é limitado e não tem cobertura de fraldas, para a fórmula especial, medicações além dele precisar de uma cadeira de rodas urgente”, diz Josiela Pereira, mãe de Yan que está sendo tratado no Children’s Hospital em Boston e na clínica de Lowell, onde foram amparados por amigos. Josiele deixou no Brasil o esposo que não é pai de Yan e uma filha de seis anos. A decisão de vir para Boston, foi motivada pelas condições médicas-hospitalares que podem dar a Yan uma condição melhor de vida.

Yan precisa de uma cadeira de rodas adaptada para ele sob medida, usa a fórmula Nutren 1.0 da Nestlé que é preciso ser comprado pois o seguro não cobre, atém de todas as medicações controladas e do dia a dia, que não são cobertas pelo seguro, além de fraldas no tamanho adulto small.

Uma conta para doações foi aberta no GoFundMe e quem desejar comprar a fórmula Nutren 1.0, fraldas ou enviar gift certificate para ajudar na manutenção de Yan e sua mãe, que terão ainda despesas com alimentação, aluguel, locomoção, etc, podem fazer diretamente.

Prestação de serviço
Solidariedade a Yan
Para informações em português ligue
978.328-6922 – Josiela Pereira
Para informações em inglês ligue
978.328-6973 – Sinara Nunes

Fonte: JornaldosSportsUSA.com. Foto: acervo familiar

About The Author

Related posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Translate »