970×90

No tribunal, xerife valentão do Arizona pede desculpas

O xerife Joe Arpaio desculpou-se por ter ignorado a determinação judicial de 2011; de suspender as patrulhas policiais na busca por indocumentados.

Na quinta-feira, 23, o autodenominado “xerife mais duro da América” foi intensamente interrogado sobre suas entrevistas na TV, notas de imprensa e campanhas de angariação de fundos, enquanto promotores públicos tentavam utilizar suas próprias palavras contra ele. A audiência preliminar do Xerife Joe Arpaio, do Condado de Maricopa, Arizona, teve como objetivo principal provar que ele ignorou conscientemente as ordens judiciais de suspender as batidas migratórias que visavam a prisão de imigrantes indocumentados.

O geralmente agressivo Arpaio respondeu de forma tensa e aparentemente suave as perguntas durante o seu segundo dia no assento das testemunhas na audiência que poderá resultar em multas, investigação de seu departamento e possivelmente audiência criminal. Ele respondeu “não me recordo” em várias ocasiões.

Um advogado da American Civil Liberties Union (ACLU) exibiu gravações de entrevistas de TV, incluindo um segmento da Fox News em 2012 com o apresentador Neil Cavuto, no qual o xerife comparou a administração Obama com relação às suas políticas migratórias e disse que continuaria prendendo imigrantes indocumentados.

Arpaio desculpou-se novamente por ter ignorado a determinação judicial de 2011 de suspender as patrulhas policiais, emitida por um juiz que na ocasião achou que o órgão discriminava imigrantes latinos. O xerife reconheceu a violação, que durou 18 meses.

“Eu tenho um respeito profundo pelos tribunais”, respondeu Arpaio. “Isso realmente me magoa, depois de 55 anos, estar nessa posição. Eu quero me desculpar com o juiz. Eu deveria ter sabido mais sobre essas ordens judiciais que passaram despercebidas”.

Perguntado se ao desafiar a ordem ele violou o seu juramento ao cargo de xerife, Arpaio respondeu que “eu não tive a intenção de violar o meu juramento”.
O testemunho do xerife ocorreu 5 anos exatos depois da assinatura da histórica lei de imigração no Arizona, conhecida como SB-1070. Ativistas planejavam caminhar desde a sede do governo no Arizona à penitenciária de Arpaio, na quinta-feira, 23, para marcar o aniversário e chamar a atenção para as políticas migratórias.

Os legisladores no Arizona aprovaram o polêmico projeto de lei em decorrência da crescente frustração com relação à imigração ilegal. Arpaio se tornou a figura central no debate nacional como resultado de seu departamento ter assumido uma postura agressiva na prisão e detenção de indocumentados. A lei SB-1070 teve grande parte de suas emendas anuladas em decorrência de várias ações judiciais e as práticas de Arpaio foram levadas aos tribunais para julgamento.

O seu desrespeito às ordens judiciais, entretanto, o levou à Corte essa semana. As audiências preliminares marcam a tentativa mais corajosa de responsabilizar o xerife pessoalmente por suas ações. Na audiência de quarta-feira, 22, a sua voz não soava alto como antes perante as câmeras de TV. O advogado de Arpaio ainda não teve a oportunidade de interroga-lo. Stan Young, um dos advogados que apresentaram a ação judicial, apresentou uma nota de imprensa, uma semana depois da ordem, na qual o xerife disse que continuaria as batidas migratórias. Ele também citou uma entrevista de Arpaio à rede de TV Univision, em março de 2012, na qual ele foi perguntado se continuaria detendo os indocumentados. “Sim, continuaremos”, respondeu ele. “Nós acabamos de prender recentemente 31 ou mais que tentavam entrar ilegalmente no país”.

No tribunal, Arpaio alegou que ainda possuía a autoridade na ocasião para fazer cumprir a lei de combate à imigração ilegal no Arizona.

Fonte: BrazilianVoice.com – Newark, NJ

About The Author

Related posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Translate »