970×90

Mortes por overdose atingem a comunidade brasileira

Amigos e familiares dos envolvidos não falam do assunto e tampouco quem já passou pelo drama fala abertamente, mas a realidade é que pelo menos três mortes em pouco mais de um ano por overdose de cocaína ou heroína aconteceram com brasileiros em Massachusetts.

Por respeito tanto às famílias, quanto aos amigos, a reportagem do Jornal dos Sports vai omitir os nomes dos envolvidos para preservar as suas respectivas privacidades.

Kit para overdose 2
Kit que é usado por socorristas e policiais, para vítimas de overdose de drogas. Foto: reprodução

Miguel é carioca e no ano passado teve uma overdose que quase o matou. “Havia brigado com minha namorada e estava muito triste, porque minha mãe havia viajado para o Brasil. Eventualmente usava drogas, e como estava sentindo-me sozinho, resolvi ir com uns amigos a um clube noturno em Boston onde bebemos e no fim da noite fiz uso da droga e só me lembro de luzes e pessoas ao meu redor. Foi o resultado de uma overdose que me fez refletir sobre o destino que estava dando para a minha vida. Tão logo minha mãe soube do ocorrido voltou para os Estados Unidos e consegui me recuperar graças a Deus. Hoje frequento um grupo que me ajuda na reabilitação e desde que que sofri a overdose nunca mais usei nenhum tipo de droga. No meu caso, o socorro foi imediato, pois eu estava em um lugar de fácil acesso. No grupo que eu frequento já ouvi histórias tenebrosas de pessoas que perderam amigos, parentes e que sabem de casos que me fizeram refletir sobre tudo. Posso dizer que tive sorte de não morrer e jamais vou me esquecer da sensação de vazio que tive quando me recuperava da overdose. Ainda bem que no dia eu havia usado cocaína, pois se fosse heroína, não estaria aqui agora”, diz Miguel.

Os números são preocupantes e merecem atenção constante das autoridades. A Massachusetts State Police divulgou no fim do ano passado que investigou a morte de 755 pessoas que morreram no Estado por overdose de heroína. Destes, 591 eram homens e 164 mulheres que tinham em média 36 anos de idade.

As estatísticas oficiais são assustadoras. No ano fiscal de 2014, 107,358 pessoas relacionadas a drogas foram atendidas pelos serviços médicos/hospitalares no Estado de Massachusetts. Cerca de 53,1% foram de viciados em heroína e 5.8% de usuários de crack e cocaína.

As autoridades tratam o caso como uma epidemia na área da saúde pública e os números de mortes aumentam a cada ano. A fonte das informações é o Department Public Health.

Ano    Mortes
2000   338
2001   468
2002   429
2003   549
2004   456
2005   525
2006   615
2007   614
2008   561
2009   599
2010   526
2011    603
2012   668
2013   910
2014   1,047

Em caso de estar com alguém que usa drogas e houver uma overdose, ligue imediatamente para o 911, pois nestas circunstâncias cada minuto conta para salvar uma vida. A polícia não vai fazer perguntas. É comum nestas situações, a preocupação de limpar e tirar qualquer vestígio do entorpecente.

O Cambridge Health Alliance tem um serviço específico para atendimento a usuários de substâncias entorpecentes e se não puderem atender, indicarão quem possa fazer atendimento.

Prestação de serviço
Cambridge Health Alliance
Central de atendimento
28 Central Street
Somerville, MA – 02143
617.591-6051

Texto: Jehozadak Pereira. Fonte: Jornal dos Sports USA

About The Author

Related posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Translate »