970×90

Foragido da justiça brasileira é deportado pelo ICE

O brasileiro Farley Afonso Figueiredo, 24 anos, que era procurado por tentativa de homicídio agravado foi removido para o Brasil na terça-feira, 21, por oficiais do US Immigration and Customs Enforcement (ICE) e do Enforcement and Removal Operations (ERO) de Atlanta, Georgia.

Farley Afonso Figueiredo, foi preso em North Charleston, Carolina do Sul, no dia 26 de janeiro de 2015 numa busca conjunta do ERO e do Homeland Security Investigations na operação “Nowhere to Run”.

Os oficiais e agentes especiais do ERO e HSI trabalharam em estreita colaboração com o escritório da Interpol em Brasília para localizar Farley e entrega-lo para as autoridades brasileiras.

Farley Figueiredo entrou legalmente nos Estados Unidos no dia 30 de julho de 2012 com visto de turista, tendo sido concedido uma permanência de seis meses, mas optou por não sair dos Estados Unidos, como determina a lei. Em 17 de março de 2015 um juiz de imigração ordenou que fosse removido.

A Interpol emitiu um alerta vermelho para Figueiredo no dia 23 de dezembro de 2014, com base em um mandado de prisão de Governador Valadares, MG.

De acordo com as autoridades brasileiras, em 18 de abril de 2011, Figueiredo e um cúmplice pediram a uma pessoa para comprar entorpecentes em uma comunidade vizinha. Quando o indivíduo voltou com os narcóticos, Figueiredo e seu cúmplice emboscaram-no e Figueiredo supostamente tirou uma arma e disparou vários tiros contra o indivíduo que sobreviveu e chamou a polícia.

“Os Estados Unidos não serão usados como um porto seguro por indivíduos procurados por crimes cometidos no estrangeiro”, disse Corey Price, diretor do ERO em Atlanta. “Este caso demonstra o compromisso do ICE para rastrear, prender e remover aqueles que não só representam uma ameaça para nossas comunidades, mas que também são fugitivos procurados pela justiça dos seus países”, disse.

Desde outubro de 2009, o ERO removeu mais de 900 fugitivos estrangeiros dos Estados Unidos, que estavam sendo procurados em seus países de origem por crimes graves, incluindo sequestro, estupro e assassinato. O ERO trabalha em colaboração com o ICE, representações consulares estrangeiras nos Estados Unidos, e Interpol para identificar os fugitivos estrangeiros em situação irregular no país.

Foto: ICE

About The Author

Related posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Translate »