970×90

Argumentos de juiz que parou ações de Obama na imigração geram polêmica

Andrew Hanen

Uma análise mais detalhada nas opiniões do Juiz Andrew S. Hanen revela alguns detalhes equivocados e até mal intencionados
A decisão de um juiz federal do distrito de Brownsville, Texas, transformou em caos o sistema migratório atual. Enquanto a administração Obama se prepara para apelar a determinação judicial, uma análise mais detalhada nas opiniões do Juiz Andrew S. Hanen revela alguns detalhes equivocados e até mal intencionados. Esses comentários podem não ter muito valor na disputa legal no tribunal, mas valem à pena ser avaliados, pois se um juiz federal possui essa percepção errada sobre a imigração; inúmeros americanos comuns provavelmente têm também.

1. Imigrantes indocumentados não geram onda de violência:
Alegação: Hanen escreveu que a marginalidade chega com a imigração ilegal, gerando problemas aos estados que estão acionando judicialmente a administração Obama. “Esse fluxo contínuo da imigração ilegal tem levado a sérios problemas de segurança interna, afetando seus residentes”, escreveu ele. “Esse fluxo, por exemplo, está fazendo com que os estados vivenciem problemas sérios no cumprimento das leis”.
Fato: Na realidade, dados do Censo revelam que, apesar de inúmeros imigrantes serem homens jovens e de baixa escolaridade, eles tendem menos a serem presos que os cidadãos nascidos nos EUA, independente da origem nacional ou étnica, como documentou Rubèn Rumbaut, da Universidade da Califórnia Irvine. Quanto mais tempo os imigrantes passam no país, mais tendem a serem condenados e presos e os índices de encarceramento de seus filhos são similares aos da população nativa, sugerindo que, com a assimilação, os imigrantes tendem a cometer crimes.
Outros estudiosos que examinaram a mesma questão durante várias décadas descobriram resultados similares. Antes de qualquer coisa, a imigração tem contribuído para o declínio do índice de criminalidade.

2. Os imigrantes indocumentados não estão cruzando a fronteira em multidões:
Alegação: “Os estrangeiros ilegais atravessam livremente a fronteira permitindo, no mínimo, que 500 mil ilegais entrem e permaneçam nos EUA anualmente”, escreveu Hanen. As estatísticas do juiz estão simplesmente desatualizadas. Isso foi verdade durante a administração Bill Clinton, mas o número de indocumentados vivendo nos EUA atingiu seu número mais alto em 2007, segundo o Pew Research Center. Os números caíram um pouco depois disso e desde então tem permanecido constante em aproximadamente 11.3 milhões. A maioria deles estão nos EUA há pelo menos 10 anos.
Fato: A Patrulha da Fronteira prende anualmente 400 mil estrangeiros. Ainda há entradas clandestinas através das fronteiras, entretanto, os estrangeiros estão dificilmente cruzando “livremente”.

3. O Governo não deixa propositalmente que pessoas entrem no país sem documentos:
Alegação: “Em várias circunstâncias, o Governo intencionalmente permite que estrangeiros ilegais entrem e permaneçam no país”, escreveu Hanen. O juiz descreveu como, depois de prender um imigrante, as autoridades federais marcam uma audiência ao invés de deportá-los imediatamente. Nesse sentido, o Governo realmente permite que os imigrantes indocumentados entrem no país e, se eles não comparecerem às audiências, poderão permanecer aqui indefinidamente, frisou Hanen. Não haveria problemas com tal afirmação se Hanen tivesse escrito “supostamente” ao invés de “intencionalmente” e, obviamente, não se pode sempre deportar uma pessoa simplesmente porque um agente acredita que eles sejam indocumentados. Inúmeros cidadãos norte-americanos foram forçados a provar a sua cidadania quando foram detidos sob suspeita de imigração ilegal.
Fato: O circuito nacional das Cortes de Imigração, administrado pelo Departamento de Justiça, possui mais casos do que pode processar. No último verão, um caso típico demorou 578 dias para ser concluído. Ambos nos dois lados do debate gostariam que os tribunais processassem esses casos muito mais rapidamente. A preocupação do juiz foca se a administração Obama segue os procedimentos apropriados no cumprimento da política migratória, que Hanen aparentemente sugere a deportação imediata dos imigrantes indocumentados.

4. O aumento da segurança nas fronteiras provavelmente não ajudará:
Alegação: “Os tribunais determinaram que a falha do Governo em manter a segurança nas fronteiras tem motivado a imigração ilegal neste país”, escreveu Hanen. Ambas as metades da frase levantam dúvidas. Além de não estar claro o que o juiz quis dizer com “falha em manter a segurança”, mas o aumento da segurança não reduzirá o número de imigrantes indocumentados que já vivem no país.
Fato: Desde 2000, o Governo Federal construiu quase 700 milhas de cercas de aço ao longo da fronteira sul dos EUA, frisou o secretário do Departamento de Segurança Interna (DHS), Jeh Johnson, durante um discurso ano passado. Além disso, ele frisou que o número de agentes, aeronaves e sistemas de vigilância por controle remoto nas fronteiras dobraram e que o governo também acrescentou quase 12 mil sensores subterrâneos e 8 aviões por controle remoto. Durante esse mesmo período, o número de indocumentados presos pelas autoridades caiu 71%, indicando que muito menos pessoas estão tentando entrar clandestinamente nos EUA. Talvez seja porque se torna cada vez mais difícil tentar entrar sem ser pego, embora a explicação mais comum seja a crise econômica dos EUA.

O Governo Federal realizou esforços significativos no aumento da segurança nas fronteiras a custos enormes. O orçamento da Patrulha da Fronteira triplicou desde 2000, para quase US$ 3.5 bilhões anuais e, de fato, os dados indicam que as fronteiras estão relativamente seguras.

Fonte: BrazilianVoice.com

About The Author

Related posts

Deixe um Comentário

Translate »